Atualmente o comércio entre os dois países está proibido e fiscalizado pelo Exército paraguaio.(Foto: Aldemiro Almino)

O Ministério da Indústria e Comércio do Paraguai aprovou nesta quarta-feira (17), o protocolo de comércio de importados para entrega de mercadoria, minimizando os riscos de exposição ao Covid-19.

O Protocolo foi apresentado e entregue pela Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviços de Pedro Juan Caballero na semana passada, durante a presença do Ministros do Interior, Eucldies Acevedo, Ministro da Defesa, Bernardino Estigarribia e da Ministra de Industria e Comercio Liz Krme, naquela cidade.

Na ocasião o Empresário Victor Barreto, presidente da Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviços de Pedro Juan Caballero, avaliava como positiva a reunião, afirmando que no prazo de uma semana teriam ter uma resposta em relação ao protocolo.

A aprovação foi comemorada pelos empresários e comerciantes de Pedro Juan Caballero, bem como por clientes dos dois lados da fronteira que tem no comércio de importados um de seus principais setores da economia.

Conforme informou Victor Barreto, uma equipe de fiscalização do Ministério da Indústria e Comércio virá a Pedro Juan Caballero em alguns dias para vistoriar os pontos fixos e analisar a liberação do comércio do tipo delivery.

O projeto que foi apresentado pela equipe da Câmara do Comércio de Pedro Juan, delimitou oito pontos para entrega de mercadorias que teriam todas as condições de higienização exigidas pelas autoridades sanitárias e seriam na avenida Dr. Francia esquinas Alberdi, com Mcal Estigarribia, com a Curupayty, Yegros, Carlos Dominguez, com a Naciones Unidas, na rotatória com a Ytororo e Juan Emilio Oleary e na Dr. Francia esquina com Benjamin Aceval, todos na Linha Internacional.

Outro fator que pode aquecer a economia do país vizinho e um projeto do governo paraguaio de redução dos impostos que pode resultar em produtos importados mais baratos. A medida visa a reativação da economia local, a serem postos em prática de forma planejada após o fim da pandemia, em curto, médio e longo prazo, entre os quais as potencialidades existentes na fronteira como Agronegócio, Turismo de Compras, Ecoturismo e o crescimento das universidades de medicina que geram muitos negócios na região.

Fonte: Ponta Porã News